"As múltiplas faces da inteligência".


Acabei de passar uma temporada surreal. Dez dias acompanhando meu filho internado num hospital de reabilitação motora.

Os casos que eu vi e as histórias que ouvi nesses dias, por si só já davam para preencher um pequeno manual que poderia se chamar: Cuide de sua saúde enquanto é tempo, senão....”.

Falar desse tema aqui? Esse não é o lugar errado para tratar disso?

Não, se partirmos do princípio que sem saúde não há vida, nem trabalho, mercado e competitividade. Portanto nesse espaço também cabe esse assunto. Se seu corpo e sua mente não estiverem em forma, ou o mais próximo disso, desencana, você vai ser um peso para o mundo. E não tem empresa que aguente carregar um peso morto. Nem família, nem amigos.

Inteligência começa quando eu olho para o meu umbigo e me cuido, com consciência. (Comprar frutinha descascada na bandejinha de isopor no supermercado não é exatamente uma atitude inteligente, pode ser cômodo.... mas o resultado está muito longe da saúde, além de ser insustentável do ponto de vista sócio-ambiental).

Embora possa parecer mórbido, a essência desse assunto é de esperança e coragem. Principalmente para quem ouviu que o filho tinha toda a chance de ficar em estado vegetativo e hoje o vê recomeçando a trocar os primeiros passos. Uma grande vitória a comemorar. Portanto, nem tudo que os médicos falam é confiável. Aliás, hoje em dia, apenas uma minúscula parte é, e mesmo assim, deve ser confrontada com mais outras tantas opiniões exaustivamente, até você ficar convencido, caso contrário recuse diagnósticos furados.

Mas uma coisa ficou evidente nessa recente passagem pelo hospital:

O AVC é uma das epidemias do nosso século

A mistura de auto-indulgência; negligência e preguiça é no mínimo nefasta, para não dizer suicída. Fazer a gestão da própria saúde é uma atitude inteligente.

Ao lado dos acidentes de moto, carro e arma de fogo, que nem sempre são evitáveis - em cada esquina podemos encontrar um desequilibrado sem noção, bêbado ou drogado, o AVC depende de nossos hábitos diários.
Ninguém pode se dar ao luxo de acusar o outro pelas consequências de hábitos doentios praticados consistentemente, dia após dia.
Uma relação simples de causa e efeito.

A mistura de pressão alta, mais alimentação errada, hábitos sedentários, obesidade, cigarro, bebida e stress são os ingredientes desse quadro nefasto. Quem trabalha no que não gosta, com gente que detesta, apenas pelo salário é um sério candidato a carregar esse título.
Ver pessoas com 17 anos com AVC e as severas sequelas incapacitantes é muito assustador!!!!

Mas tem gente que passa por isso, vai além e dá exemplo de superação e criatividade!!
Na época do acidente de carro do meu filho, quando ele ainda estava em coma, um amigo me enviou o livro da Dra. Jill Bolte Taylor, neurocientista de Harvard, sobre sua experiência com um derrame em 1996
"
A cientista que curou seu próprio cérebro". Imperdível.

Ela esteve dos dois lados do balcão. Como pesquisadora do cérebro e como paciente. O que ela ensina no livro é fundamental para que possamos entender como começar a lidar com esse paciente. Nesse trabalho ela conta como superou, depois de 8 anos, todas as dificuldades e sequelas do AVC.
O primeiro passo foi sentir-se responsável pelo próprio corpo. Deu muito trabalho, mas foi possível.

Quem se interessar pode assistir Aqui uma palestra dela relatando uma parte dos fatos.

Já o filme francês "O escafandro e a borboleta" não deve ser visto por quem é impressionável.
Nem por quem acha que não consegue fazer algo interessante na vida.

Em 1995 o editor-chefe da revista Elle, com 42 anos teve um derrame. Do nada. Dirigindo um carro, na estrada. Com um agravante, no caso dele veio acompanhado de uma síndrome conhecida como locked in, uma rara condição em que a pessoa fica consciente, com a percepção preservada, mas totalmente paralisada. Como se a mente estivesse presa num corpo que não responde aos desejos de movimento. E mesmo podendo mexer apenas uma pálpebra, sua fonoaudióloga encontrou uma técnica eficiente e ele escreveu o livro que gerou o filme.

Enquanto acharmos que coisas ruins só ocorrem com os outros, seremos vítimas fáceis desse inferno em vida!!
Tudo começa com uma atitude simples: assumir a responsabilidade, não só pela nossa própria vida, como também pela nossa própria morte e consequência dos nossos atos.
Sobre isso, o excelente texto "Adultos Infantilizados" de Contardo Calligaris na Folha do dia 26/11/09, mostra que isso é um luxo cada vez mais distante.
Nossa geração prefere abrir mão da autonomia em nome da zona de conforto.
Ok, são escolhas e cada uma delas vai trazer suas consequencias - mais cedo ou mais tarde.

E para quem acha que a vida já não está muito fácil, mesmo com todas as funções acontecendo regularmente, imagina com deficiência e falta de liberdade e independência?

Mesmo com todos esse exemplos de superação de dificuldades, de minha parte eu escolhi um outro conceito de felicidade. Eu escolho ter saúde e até ter uma morte súbita e instantânea. A lógica é de uma simplicidade franciscana.
Não quero passar por nenhum corredor de hospital, muito menos UTI, mas se eu chegar a entrar, por favor, desliguem todos os aparelhos.

Isso me lembra a última cena da "Era do Gelo 2".

Quando finalmente o esquilo morre e vai conseguir pegar a noz - aquela a qual ele passou o filme todo atrás dela. Quando ele já está na porta do céu, quase tocando seu objeto de desejo, Sid - o bicho preguiça -


num gesto de profunda boa vontade, resolve fazer uma reanimação.....e o esquilo volta sem a noz....completamente frustrado e com muita, mas muita raiva!!
Por favor, prometam que eu vou poder pegar minha noz...rs

3 comentários:

ZAZÁ LEE disse...

Que excelente texto.
Impressiona... de fato!
Aí, eu fiquei com culpa e QUE CULPA !
Por fumar.

Phi Projetos disse...

Ei prima, é isto aí.Você é fantástica. Cuidemos de cada pedacinho de nós para não termos que viver sem a noz. Brilhante, o texto.
Cristina G.Maakaroun

Beaz disse...

Entendi. Melhor a gente se despedir de atitudes e hábitos arriscados para o resto da vida do que se despedir da vida. Certo, sim. Vou abondonar as orgias, a bebida, o cigarro e as drogas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...